Home»Trabalhos Acadêmicos»O MERCADO INTERNACIONAL DE MOEDAS, O CARRY TRADE E AS TAXAS DE CÂMBIO

O MERCADO INTERNACIONAL DE MOEDAS, O CARRY TRADE E AS TAXAS DE CÂMBIO

Texto para Discussão |  Observatório da Economia Global | Out. 2010

Introdução

Esse trabalho busca explicações para o comportamento errático das trajetórias de taxas de câmbio ao redor do mundo entre 2006 e 2010. Argumenta-se que o modo de operação o mercado de câmbio internacional e, mais especificamente, as operações de carry trade distorcem sistematicamente as taxas de câmbio entre várias moedas, desviando suas trajetórias dos fundamentos econômicos. A operação de carry trade consiste em uma estratégia financeira que busca usufruir de diferenciais de juros entre moedas e pode ser uma operação financeira convencional – quando um agente toma empréstimo em uma moeda e aplica em ativos denominados em outra – como também pode ser uma aposta no mercado de derivativos de taxas de câmbio onde se aposta nas variações das taxas e o agente fica comprado na moeda de taxa de juros alta e vendido na moeda mais de taxa de juros baixa. Essa estratégia têm sido apontada por parte da literatura econômica como um dos vilões dos desequilíbrios globais.

A pesquisa é divida em três partes além dessa introdução e de uma conclusão: na primeira analisa-se o mercado de câmbio internacional no que se refere às suas principais características, seu volume de negócios, os participantes envolvidos, as estratégias de investimentos dos mesmos, sua distribuição geográfica, os instrumentos utilizados e os pares de moeda mais negociados. Na segunda parte, faz-se um levantamento da literatura sobre o carry trade, exploram-se as especificidades desse conceito, sua ligação teórica com a paridade descoberta da taxa de juros e a diferença entre o carry trade e a arbitragem pura com juros internacionais, relacionada à equação da paridade coberta dos juros.

Já a última parte é composta por três seções empíricas e uma seção propositiva. O primeiro item explora a relação entre as taxas de câmbio e variáveis de fundamentos para um conjunto grande de economias. O segundo analisa a correlação diária entre diversas taxas de câmbio e indicadores financeiros e atribui uma tipologia às moedas envolvidas no carry trade. A terceira seção aponta ciclos de carry trade usando dados de posição dos agentes no mercado futuro para moedas negociadas na bolsa de Chicago e, encerrando a terceira parte, uma seção analisa direções de política econômica para neutralizar o carry trade.

ACESSE AQUI